Fale conosco, estamos on-line!
FALE COM A ARQUITETA SHEILA.

O PORQUÊ DO CLIENTE NÃO INTERFERIR NA OBRA DE SUA CASA.

Resolvi postar sobre esse assunto aqui no blog, por conta dos inúmeros problemas, que eu mesma já tive, com muitos clientes.
Quem é leigo na área de arquitetura e engenharia, desconhece o tamanho do problema que causa, quando resolve dar "ordens", aos profissionais que estão no canteiro de obras!
Sempre explico aos meus clientes que a hora de modificar o projeto, é enquanto este, está no papel. Depois do início da obra, fazer qualquer alteração de projeto, é pedir para arruinar a execução.
Vou explanar alguns dos motivos que fundamentam o que defendo.

Primeiro:
É prejuízo certo, resolver mudar qualquer janela, que seja, do lugar determinado pelo projeto, pois, até mesmo um simples vão, foi estudado e planejado para estar ali e ter aquelas dimensões. O arquiteto não faz nada, sem ter um objetivo técnico para aquele elemento. Além disso, enquanto o desenho está na planta, é só apagar e fazer novamente. Quando já está na execução, propriamente dita, tem que quebrar e refazer, o que provoca novo acordo de valor com a mão de obra e acréscimo de material.

Segundo:
O cálculo estrutural, é feito baseado na planta de arquitetura. Isto é, o engenheiro faz sobreposição de sua planta na do arquiteto, o que quer dizer que, os posicionamentos dos elementos estruturais, como, vigas, pilares, vergas, cintas, etc, são planejadas em cima da planta de arquitetura, para não ficarem descompatibilizadas. Isso é algo bem sério. Dependendo da modificação que o cliente faça, no decorrer da obra em andamento, pode comprometer a estrutura dessa construção, ocasionando o colapso desta.

Terceiro:
Provoca desgaste, insegurança e tumulto na obra, entre os profissionais envolvidos. Já ouviram falar de "muito cacique, para pouco índio"? Pois é, não existe nada mais desagradável, para os mestres de obras, encarregados, pedreiros, etc, do que a mudança de instruções toda hora, com pessoas distintas mandando! É necessário ficar bem claro que, o responsável técnico pela obra (arquiteto ou engenheiro), responde civil e criminalmente à Justiça e administrativamente ao conselho de classe, caso algo de errado aconteça na construção ou reforma, portanto, somente esse profissional, tem a qualificação técnica para comandar a execução, ninguém mais.

Quarto:
Antes de começar qualquer obra, é necessária, a emissão do alvará da autorização e para isso, o arquiteto entrega o projeto para a devida aprovação e emissão deste documento, que irá proporcionar legalidade aos serviços. Quando o cliente modifica esse projeto, no decorrer da execução, ele terá necessariamente, a despesa adicional de pagar novamente pelos honorários do arquiteto, que terá que modificar as plantas e dar entrada novamente na Prefeitura, como "modificação de projeto", caso contrário, se não fizer, o proprietário do imóvel não conseguirá o Habite-se, ao término da execução.

É preciso que fique bem clara  essa situação. Não se trata de disputa de poder e nem arrogância, do tipo, "quem manda aqui sou eu", trata-se de responsabilidade profissional, inerente à função de engenheiro e arquiteto. Existem regras,leis e técnicas a serem cumpridas por esses profissionais.
Obra não é brincadeira para leigos. Obra errada causa acidente e morte.

Espero ter conseguido esclarecer aqui, o motivo da obra ter seu responsável técnico e ser ele a administrar a obra e não o cliente.








Abraços.





Imagens das obras executadas pela arquiteta Sheila.

Arq. Sheila

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

QUAL A DIFERENÇA ENTRE PERITO E ASSISTENTE TÉCNICO??

  A Pergunta que está na cabeça de todos!!! Afinal, qual a diferença entre perito e assistente técnico?? Bem simples, pessoal!! O perito é n...